eu juro que por trás dessa bagunça tem uma
pessoa incrível

eu gostaria de pular para o momento da minha vida em que as pessoas

veriam outra versão de mim. mas para evolução não há atalhos e a

maturidade só vem depois de muito sofrimento e eu tenho sofrido

bastante para amadurecer tão pouco.


por muito tempo segui guias falsos que me convenceram de que seria

melhor, e até, mais adequado não ser eu. até que percebi que sofria

mais não sendo eu, mas era tarde demais porque já havia esquecido

quem sou.


então estou deixando para trás tudo que eu sou ou pensava que sou, e

isso não é fácil quando você é tão nostálgica e insegura quanto eu. é um

processo lento que não peço mais aos demais que tenham paciência

comigo, a minha já basta e será suficiente para minha jornada.


porque cansei de implorar por paciência a quem diz querer me

conhecer, mas vai embora sem saber quem sou. não estou bancando a

coitada por isso, só estou dizendo que não estou mais disposta.


mas eu juro, por trás dessa bagunça tem uma pessoa incrível.


neste caminho que estou percorrendo, meu emocional e meu espírito

estão cada vez mais resistentes e o meu ego cada vez menor.


o auge e o abismo tornaram-se um só. pois, agora, se eu cair no mais

profundo dos abismos, será parte da jornada e se eu alcançar o auge de

qualquer situação em minha vida, será também, apenas parte da

jornada.


estou aprendendo a ser o meu próprio ser, porque na desgraça ou na

glória, você pode me encontrar, eu estou nos dois.


e pelo pouco que já subi, percebi que chegar às alturas de quem sou é

enxergar meus abismos. e ter que descer, obviamente é sempre

doloroso. mas é melhor que escolher ficar cega e despencar sem o

mínimo aviso.


descer é diferente de despencar, e independente de como será a descida,

todos vamos descer, mas nem todos conseguirão subir novamente. por

isso qualquer pista, qualquer detalhe é primordial.


e quem conhece teus auges e teus abismos sabe aproveitar ao máximo a

vista do topo e em caso contrário sabe se acolher, se preparar e se

aceitar. sabe olhar para si e dizer: “ok, agora eu vou descer, mas uma

hora eu terei que sair de lá”.