top of page

Giana nunca considerou o vampirismo uma maldição — até precisar cuidar de uma humana sob o efeito de sua mordida. Para a jovem vampira, demonstrações românticas são uma tortura. Estar longe de qualquer romance é o que torna sua vida mais tranquila, porém, quando Giana acorda de uma noite regada à bebida com uma garota loira em sua cama e um familiar gosto metálico na boca, toda a paz de seu corpo some em um piscar de olhos. De acordo com as regras de seu clã, ela é proibida de morder humanos, e a punição para a transgressão é cuidar da menina até quaisquer efeitos colaterais passarem — o que seria tolerável, caso a consequência de sua mordida não fosse uma paixão avassaladora. Agora, Giana precisa suportar grandes atos de amor enquanto procura um fim para o feitiço. Entretanto, à medida que se aproxima da nova companhia, seus sentimentos ganham novas formas e, tarde demais, a vampira percebe que uma simples tarefa pode levá-la ao que jamais imaginou: sentir a dor da perda de alguém que um dia quis distância.

A última mordida

  • Isabela Fiori

DEPOIS-DA-MEIA-NOITE.png

DEPOIS DA MEIA-NOITE

Por Alan Silva

ku-logo-orange-black._CB485916766_ (1).png

publicidade

Você pode gostar de