Diversidade na cultura nerd é tema de livro

Publicação de Christian Gonzatti fala sobre a tentativa de censura na Bienal de 2019

Diversidade na cultura nerd é tema de livro

No dia 25 de maio é comemorado o Dia do Orgulho Nerd. E essa é a data perfeita para falar sobre o livro “Pode um LGBTQIA+ ser super-herói no Brasil?”, do pesquisador Christian Gonzatti. A obra está em pré-venda pela Editora Devires e o lançamento será no dia 18 de junho, na Poc Con, feira LGBTQIAP+ de Quadrinhos e Artes Gráficas, que acontece em São Paulo.


Tendo como objeto de pesquisa a tentativa de censura de obras LGBTQIAP+ na Bienal do Livro do Rio de Janeiro em 2019, o livro é uma investigação comunicacional e fala sobre como o Brasil, gerido pela extrema-direita, tem perseguido as representações positivas de personagens LGBTQIAP+.


Diante do problema apresentado, a obra de Christian Gonzatti também aponta caminhos a serem seguidos. As pessoas que se unem contra os discursos de ódio são essenciais para inspirar movimentos de resistência.



A capa de Pode um LGBTQIA+ ser super-herói no Brasil? mostra dois heróis se beijando. Para a criação da arte, o autor contou com outros profissionais da comunidade para que o trabalho fosse ainda mais simbólico.


“A capa é também uma manifestação política e intelectual. A ilustração foi feita pelo artista LGBT Lucas Werneck, que atua na Marvel. A arte dela é trabalho do meu namorado, Guilherme Ganc. São camadas de trabalho LGBT que se interseccionam para simbolizar o que meu livro busca demonstrar - que não há nada de ameaçador ou perigoso em representações LGBTQIA+”, revelou.


Ainda durante a bienal de 2019, muitas obras LGBTQIAP+ se tornaram destaque. Páginas, como o próprio Cadê LGBT, ganharam seguidores que, a partir daquele momento, passaram a procurar e consumir mais obras com representatividade. Para Christian, a cultura pop funciona como um indicador de que a sociedade está avançando em relação a esses temas, mas ainda há muito o que fazer e observar.


“O que não podemos perder de vista é o olhar crítico para o quanto as indústrias culturais de fato assumem compromissos representativos com a diversidade e para os limites de representações em produções que sempre tem como horizonte o lucro. É preciso continuar tensionando e desenvolvendo críticas midiáticas sobre o que precisa melhorar para que esses espaços da mídia sejam problematizados a repensarem os seus enquadramentos e invisibilidades sobre corpos e vidas LGBTQIA+.”


Christian Gonzatti é Mestre e Doutor em Ciências da Comunicação e vem pesquisando questões relacionadas à diversidade na cultura pop nesse contexto. Ele também é criador da Diversidade Nerd e conta que seu público na plataforma tem um interesse crítico que o mobiliza.


“As pessoas têm noção de que representatividade não se trata apenas de ter um personagem LGBTQIA+ na produção, mas que envolve a presença da diversidade interseccional em todas as camadas de uma produção midiática - roteiro, direção, produção e por aí vai.”


Pode um LGBTQIA+ ser super-herói no Brasil? está disponível no site Queer Livros. Acompanhe o trabalho de Christian no TikTok.