7 livros que tem representatividade LGBT e você não sabia

Categoria

Especiais

Já pegou um livro pra ler e se surpreendeu pois não sabia que tinha personagens LGBT?

Quando um livro com protagonismo LGBTQIAP+ é lançado, é comum que as editoras planejem ações de marketing e divulgação voltadas para a Comunidade, visando atingir o público alvo - nesse caso, pessoas que vão se identificar ou se interessar pela história. Ainda que essa seja uma ação comum, algumas editoras escolhem vender livros com protagonismo LGBTQIAP+ visando outros pontos ou características da história, a carreira já estabelecida dos autores, o gênero da obra, ou seja, a sexualidade ou gênero dos personagens, nesse momento de divulgação, não é abordada.

Devido a essa escolha, às vezes pegamos um livro pra ler e nos deparamos com personagens LGBTQIAP+ que não conhecíamos antes e são relevantes na história - exercendo papel de protagonistas. Quer conhecer alguns livros que você - provavelmente - não sabe que são LGBTQIAP+? Então continua lendo!

7 livros que tem representatividade LGBT e você não sabia

Me leve com você

David Levithan e Jennifer Niven

Desde que a mãe de Beatriz e Ezra se casou novamente, a vida dos irmãos ficou mais complicada do que já era. Bea virou a encrenqueira da casa e faz de tudo para proteger o irmão dos adultos.


Mas Bea decide ir embora para desvendar segredos do passado e agora, Ez precisa se virar para seguir em frente sem a ajuda de sempre da irmã. Narrado por meio de e-mails, Me leve com você é um livro que fala sobre encontrar o seu lugar no mundo.


Os segredos que guardamos

Lara Prescott

A história é inspirada em uma missão real da CIA e mostra como a agência utilizou Doutor Jivago para mostrar aos soviéticos o poder de mudança da literatura. O plano era imprimir a obra em russo e contrabandear os exemplares, que eram proibidos. Para que tudo saísse como o planejado, a espiã americana Sally tinha que treinar a russa Irina para infiltrar o texto em seu país.


Na obra, mulheres de ambos os lados da Cortina de Ferro protagonizam essa história, sendo amantes, espiãs ou datilógrafas. Fortes e corajosas, essas personagens ganham vida nessas páginas e são exemplos de que determinados segredos não devem ser guardados.


Cidade nas nuvens

Anthony Doerr

No século XV, Anna encontra um livro, a história de Éton, que deseja ser transformado em pássaro e voar até um paraíso utópico no céu. Enquanto as muralhas daquele que foi seu lar por toda a vida são bombardeadas no grande cerco de Constantinopla, Anna lê a história para a irmã adoentada. E é nesse contexto que seu caminho vai se cruzar com o de Omeir, um garoto de fora das muralhas, recentemente recrutado com seus bois para se juntar ao exército invasor.


Cinco séculos mais tarde, Zeno, que aprendeu grego enquanto era prisioneiro de guerra, dirige cinco crianças em uma adaptação teatral da história de Éton. Entre as prateleiras da biblioteca, Seymour, planta uma bomba, ativando assim um novo cerco. E em um futuro não muito distante, na nave interestelar Argos, Konstance está sozinha em uma câmara, escrevendo em restos de pano uma história contada por seu pai: a de Éton.


Os prós e os contras de nunca esquecer

Val Emmich

Joan tem anos e um dom surpreendente: consegue lembrar com detalhes qualquer coisa que já aconteceu com ela. Mas Joan sabe que a maioria das pessoas não é assim e teme ser esquecida pelos outros. Ao ficar sabendo de um concurso de música, ela tem a chance de se tornar inesquecível, afinal, grandes músicas são lembradas para sempre. Ela só precisa achar o colaborador perfeito. E é aí que entra Gavin Winters.


Gavin é amigo dos pais de Joan e acabou de perder o namorado Sydney. Então ele e a garota fazem um acordo: ele vai ajudar Joan com a música e em troca a menina vai contar tudo que se lembra de Sydney. Mas o que no início era reconfortante acaba se tornando uma tortura no momento em que Gavin é obrigado a encarar o fato de que o namorado talvez estivesse escondendo alguma coisa.


A hipótese do amor

Ali Hazelwood

Olive é aluna do doutorado e acredita na ciência e não no amor. Depois de sair algumas vezes com Jeremy, ela percebe que sua melhor amiga gosta dele e decide juntá-los. Para mostrar que está feliz com essa escolha, Olive precisa ser convincente: afinal, cientistas exigem provas. Sem muitas opções, ela resolve inventar um namoro de mentira e beija o primeiro homem que vê pela frente.


O problema é que esse homem é Adam Carlsen, um jovem professor de prestígio – conhecido por levar os alunos às lágrimas. Por isso, Olive fica chocada quando o tirano dos laboratórios concorda em levar adiante a farsa e fingir ser seu namorado. De repente, seu pequeno experimento parece perigosamente próximo da combustão e aquela pequena possibilidade científica, que era apenas uma hipótese sobre o amor, transforma-se em algo totalmente inesperado.


O caso da Mansão Deboën

Edgar Cantero

Andy é uma mulher extremamente solitária e sente que não se encaixa em lugar algum; Kerri busca consolo para seus medos e complexos na bebida; Nate se interna voluntariamente em hospitais psiquiátricos e tem a constante companhia do fantasma de Peter, o amigo que se tornou um astro de Hollywood mas morreu de overdose. Nenhum dos quatro podia imaginar que seu futuro seria fadado ao fracasso por conta de uma aventura adolescente envolvendo a Mansão Deboën.


Mais de uma década antes eles eram apenas quatro jovens inquietos quando foram até o lago da cidade de Blyton Hills para desvendar um mistério. Em vez de monstros assustadores e espíritos vingativos, eles descobriram que tudo não passava da tramoia de um criminoso fantasiado. Mas o que eles viram e ouviram naquele dia jamais deixa de aterroriza-los. Anos depois, o grupo então se reúne para tentar entender o que realmente aconteceu naquele fatídico verão.


Grande sertão: veredas

João Guimarães Rosa

Publicado originalmente em 1956, Grande sertão: veredas, de João Guimarães Rosa, revolucionou o cânone brasileiro e segue despertando o interesse de renovadas gerações de leitores. Ao atribuir ao sertão mineiro sua dimensão universal, a obra é um mergulho profundo na alma humana, capaz de retratar o amor, o sofrimento, a força, a violência e a alegria.


 

Agora que já viu nossas descobertas, conta pra gente: você sabia que esses livros têm protagonismo LGBTQIAP+? Tem mais algum pra recomendar?